Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.

Re: [RN] D. MAURO: MINISTRO É INEXPERIENTE

Expand Messages
  • Daniel Sottomaior <cetico@hotmail.com>
    ... A FOME SEPAROU D. MAURO E GRAZIANO http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/19/news155.html Uma disputa política sobre o formato do Programa Fome
    Message 1 of 2 , Feb 1, 2003
    • 0 Attachment
      > O ESTADO DE S. PAULO, 22-01-2003
      >
      > D. MAURO DIZ QUE GRAZIANO NÃO TEM EXPERIÊNCIA
      >
      > Vetado para o Conselho de Segurança Alimentar (Consea), depois de
      > ter participado da discussão do Fome Zero, o bispo de Duque de
      > Caxias, D. Mauro Morelli, diz que está disposto a colaborar com o
      > governo do PT, mas mantém suas críticas ao programa. Ele afirma que
      > não há planejamento e que a equipe do ministro José Graziano, da
      > Segurança Alimentar, é inexperiente.

      > http://www.estado.estadao.com.br/editorias/2003/01/22/pol052.html

      A FOME SEPAROU D. MAURO E GRAZIANO
      http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/19/news155.html
      Uma disputa política sobre o formato do Programa Fome Zero e do
      Conselho de Segurança Alimentar (Consea) marca a estréia do governo
      de Luiz Inácio Lula da Silva. Tudo passaria despercebido não fosse d.
      Mauro pôr a boca no trombone. Há uma semana, admitiu que faltou
      diálogo para a definição do principal projeto do governo: "Ficamos no
      nível técnico, dando trombadas." Ele escancarou o mal-estar ao contar
      que fora vetado para integrar o Consea, que dirigiu no governo Itamar
      Franco. Depois da turbulência, Lula deu uma ordem: quer d. Mauro no
      conselho.


      D. MAURO INTENSIFICA CRÍTICAS AO PROJETO
      http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/23/news173.html
      - Nem mesmo a notícia de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva
      fará um apelo mundial contra a fome, tanto em Porto Alegre como em
      Davos, foi suficiente para abafar as críticas do bispo de Duque de
      Caxias (RJ), d. Mauro Morelli, ao programa Fome Zero. Ao abrir ontem
      o IX Encontro Nacional dos Procuradores da Cidadania, na capital
      gaúcha, d. Mauro subiu o tom do ataque ao afirmar que falta foco e
      diálogo na condução do projeto. Mais: para ele, o que seria o
      principal programa social do governo Lula decepciona, na medida em
      que é enfiado "pela goela" da população, sem diálogo. Sobrou puxão de
      orelha até mesmo para o ministro da Fazenda, Antônio Palocci
      Filho. "Graziano pode até ser santo, mas, nesse campo, não é uma
      pessoa que vai resolver", argumentou, referindo-se ao ministro de
      Segurança Alimentar, José Graziano da Silva.


      ZILDA ARNS MANTERÁ SUAS CRÍTICAS NO CONSELHO
      http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/24/news344.html
      A coordenadora da Pastoral da Criança, a médica Zilda Arns, vai fazer
      parte do Conselho de Segurança Alimentar (Consea), que toma posse no
      dia 30. O convite foi feito há dois dias pelo ministro extraordinário
      de Segurança Alimentar, José Graziano. A médica, que fez várias
      críticas públicas ao Fome Zero, idealizado pelo ministro, pretende
      reapresentá-las nas reuniões do conselho.


      PARA ZILDA ARNS, PROJETO NÃO REDUZIRÁ MISÉRIA
      http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/31/news359.html
      A coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, manteve ontem o
      tom crítico a algumas idéias do programa Fome Zero. Também confirmado
      para Consea, o bispo de Duque de Caxias, d. Mauro Morelli, insistiu
      na tese de que o Fome Zero tem de contar cada vez mais com a
      participação da sociedade.


      CORO DOS CRÍTICOS NÃO SE CALA NEM NA SOLENIDADE
      http://www.estado.estadao.com.br/jornal/03/01/31/news242.html
      As críticas ao programa Fome Zero que freqüentaram as páginas dos
      jornais nos últimos dias chegaram ontem ao salão principal do Palácio
      do Planalto, no lançamento da maior aposta do presidente Luiz Inácio
      Lula da Silva na área social. O líder do Movimento dos Sem-Terra
      (MST) João Pedro Stédile engrossou o coro de descontentes, como a
      coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, e o bispo de Duque
      de Caxias (RJ), d. Mauro Morelli. "Temos de ter em conta que isso não
      adianta nada para reduzir a miséria. O que reduz a miséria é dar
      educação, alfabetização, moradia e saneamento", disse ela.
    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.