Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.
 

[RN] ISLAM MODERNO

Expand Messages
  • Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de
    FOLHA, 01/02/2007 CLÓVIS ROSSI De Meca e de lucros SÃO PAULO - Um dos grandes trunfos do capitalismo (e do Ocidente, seu quartel-general) é a imensa
    Message 1 of 3 , Feb 1, 2007
      FOLHA, 01/02/2007

      CLÓVIS ROSSI

      De Meca e de lucros

      SÃO PAULO - Um dos grandes trunfos do capitalismo (e do Ocidente, seu quartel-general) é a imensa capacidade de digerir adversários e até inimigos e devolvê-los ao grande público como produtos, como "business".

      O exemplo mais antigo é o da efígie de Che Guevara. Vivo, era um combatente anticapitalista. Morto, virou imagem em t-shirts e lucro para os fabricantes.

      Exemplo mais imediato está na página A9 da Folha de ontem: um jovem libanês banhado em sangue depois de cortar a cabeça com a espada na Ashura, o ritual que marca o martírio do neto do profeta Maomé. O sangue soará como aberrante para boa parte dos ocidentais (a mim não, desde que não custe sangue alheio).

      Mas o respeito ao ritual ancestral não impede que o jovem, ainda ensangüentado, fale ao celular, hoje o mais disseminado símbolo do consumismo (em tese a antítese do martírio) e da capacidade de veloz e até feroz renovação das tecnologias no Ocidente.

      Não é caso único: o jornal espanhol "El País" relata o avanço na Europa dos produtos "halal" (lícitos segundo os preceitos do islamismo). À primeira vista, é o triunfo da tradição sobre o modernismo (suposto ou real) representado pelos métodos ocidentais.

      Mas, à segunda vista, o "boom" do "halal" é fruto do desejo da terceira geração de islamistas na Europa de, em mantendo tradições, poder consumi-las nos supermercados, como qualquer europeu, em vez de ser obrigado a fazê-lo em pequenas lojas de pequenos guetos.

      Aí surge o espírito animal do capitalismo para atendê-los. Lógico: a fatia de mercado para esse tipo de produto é de US$ 18 bilhões.

      Até porque não há fiscalização suficiente para saber se o frango, por exemplo, foi degolado olhando para Meca, uma das condições para ser "halal". A meca para a qual olha o capitalismo é o lucro.

      http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0102200703.htm
    • Orlando Sergio
      ... From: Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de To: Secularismo Sent: Thursday,
      Message 2 of 3 , Feb 1, 2007
        ----- Original Message -----
        From: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
        <Alexandre.Medeiros@...>
        To: "Secularismo" <secularismo@yahoogroups.com>
        Sent: Thursday, February 01, 2007 7:54 AM
        Subject: [secularismo] [RN] ISLAM MODERNO


        FOLHA, 01/02/2007

        CLÓVIS ROSSI

        De Meca e de lucros

        (...)

        Até porque não há fiscalização suficiente para saber se o frango, por
        exemplo, foi degolado olhando para Meca, uma das condições para ser "halal".
        A meca para a qual olha o capitalismo é o lucro.

        http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0102200703.htm


        ==========================
        O frango tem que ser degolado olhando pra Meca?????? hahahahahahahahah que
        hilário (menos pro frango é claro)
        Parce filme do Monty Python.....hahahahhahhahah

        Orlando.
      • Gustavo Biscaia de Lacerda
        Sem dúvida alguma: essa função civilizatória do capitalismo (ao contrário do que apregoam os marxistas) é fundamental. Espero que esse processo continue
        Message 3 of 3 , Feb 6, 2007
          Sem dúvida alguma: essa função civilizatória do capitalismo (ao contrário do que apregoam os marxistas) é fundamental. Espero que esse processo continue pelo tempo e com a intensidade suficientes para desarmar o Islã fundamentalista.

          Gustavo.

          "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <Alexandre.Medeiros@...> escreveu: FOLHA, 01/02/2007

          CLÓVIS ROSSI

          De Meca e de lucros


          Mas, à segunda vista, o "boom" do "halal" é fruto do desejo da terceira geração de islamistas na Europa de, em mantendo tradições, poder consumi-las nos supermercados, como qualquer europeu, em vez de ser obrigado a fazê-lo em pequenas lojas de pequenos guetos.

          Aí surge o espírito animal do capitalismo para atendê-los. Lógico: a fatia de mercado para esse tipo de produto é de US$ 18 bilhões.

          Até porque não há fiscalização suficiente para saber se o frango, por exemplo, foi degolado olhando para Meca, uma das condições para ser "halal". A meca para a qual olha o capitalismo é o lucro.

          http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0102200703.htm




          __________________________________________________
          Fale com seus amigos de graça com o novo Yahoo! Messenger
          http://br.messenger.yahoo.com/

          [Non-text portions of this message have been removed]
        Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.