Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.
 

[RN] VATICANO SE PREOCUPA COM 'O GRAVE PROBLEMA DA DESCRENÇA'

Expand Messages
  • Daniel Sottomaior
    VATICAN.VA QUESTIONÁRIO SOBRE A DESCRENÇA Para responder à missão confiada pelo Santo Padre neste começo de novo milênio, o Pontifício Conselho da
    Message 1 of 1 , May 1 8:00 PM
      VATICAN.VA

      QUESTIONÁRIO SOBRE A DESCRENÇA

      Para responder à missão confiada pelo Santo Padre neste começo de novo
      milênio, o Pontifício Conselho da Cultura sente a necessidade de olhar
      com novos olhos o grave fenômeno da descrença e da indiferença
      religiosa no mundo, para examinar seu alcance real, sua diversas
      modalidades e seu impacto sobre os mesmos crentes. E também, para
      examinar atentamente essa difusa zona de fronteira entre a religião e
      a descrença que se tem denominado "novos movimentos religiosos" ou
      "religiões alternativas".

      E' com esta finalidade que foi preparado o seguinte questionário.
      Invitamos nossos leitores e todas as pessoas interessadas a oferecer a
      sua contribuição, enviando as suas respostas ao questionário os
      ofícios do Conselho Pontifício da Cultura antes do 28 Fevereiro de
      2003 (Pontificium Consilium de Cultura, V-00120 Cidade do Vaticano,
      Fax: +39-06.6988.7368, +39-06.6988.7165, cultura@c...).

      1. Informações úteis

      1.1. Existem dados numéricos ou estatísticos confiáveis relativos ao
      fenômeno da descrença em sua região? Em caso afirmativo, classificar
      se possível, por idade, sexo, atividades, etc., indicando sempre as
      fontes.

      1.2. Quem são os não-crentes em sua região? Existem grupos,
      movimentos, correntes organizadas que se autodenominem explicitamente
      ateus ou não-crentes? Que tipo de atividades estes grupos desenvolvem?

      1.3. Existem em seu país/região/diocese institutos, centros,
      organismos especializados no estudo da descrença? Em caso afirmativo,
      indique, por favor, nome, endereço e dados úteis.

      1.4. Na Conferência Episcopal (ou similar) existe um setor ou pessoa
      encarregada do estudo da descrença e do diálogo com os não-crentes? Em
      caso afirmativo, indique, por favor, nome e endereço de contato.

      1.5. Que espaço é concedido à religião na escola pública e na escola
      católica ao longo destes últimos dez anos? Assinale, se houver, as
      mudanças ou modificações relevantes nesta situação.

      1.6. Endereços eletrônicos – URL (Internet) – úteis. Bibliografia
      essencial atualizada sobre o tema da descrença em sua região/país/diocese.



      2. O novo rosto da descrença

      2.1. Quais são os principais fatores que alimentam hoje a descrença?
      Que fatores modificam os traços típicos ou tradicionais da mesma? A
      queda dos regimes comunistas na Europa tem tido algum influxo sobre a
      descrença em sua região/país? Pode-se falar de um efeito da
      globalização sobre a descrença em seu ambiente?

      2.2. Que formas de oposição à Igreja – sub-reptícia, pública,
      mediática – existem e que influência têm sobre a descrença?

      2.3. Em que medida e em que sentido algumas atitudes características
      da cultura secularizada estão presentes dentro da Igreja e são
      compartilhadas pelos cristãos?

      2.4. Pode-se falar de indiferentismo e de relativismo entre os mesmos
      crentes?

      2.5. Existe algum tipo de diálogo com os não-crentes? Com quem, com
      que conteúdo e finalidade? O senhor tem alguma experiência concreta
      desse tipo de diálogo?



      3. O desafio das religiões alternativas

      3.1. Quais são os principais fenômenos ou movimentos para-religiosos
      de sua região: religiões alternativas, bruxaria, paganismo e
      neo-paganismo, cultos pré-cristãos, movimentos e cultos satânicos?
      Quais são suas causas?

      3.2. Segundo os dados apresentados na questão 1.1., qual é a tendência
      destes movimentos? Crescem ou diminuem?

      3.3. Existe algum tipo de vinculação, explícita ou oculta, entre estes
      movimentos e grupos políticos, membros do governo ou da administração
      pública, empresas multinacionais, etc.?

      3.4. A maçonaria desenvolve algum tipo de atividade em sua
      região/país? Há algum tipo de diálogo com a maçonaria?

      3.5. Para a Igreja de sua região ou país, que desafio pastoral
      representam as religiões alternativas? Concretamente, que iniciativas
      pastorais empreende a Igreja local para chegar aos adeptos destes
      grupos ou religiões alternativas e anunciar o Evangelho às pessoas
      atraídas por este tipo de fenômenos?

      3.6. Neste contexto, quais são as prioridades da Igreja local em
      matéria de formação dos próprios formadores e dos fiéis?

      http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/cultr/documents/rc_pc_cultr_doc_20030130_questionnaire-on-unbelief_po.html
    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.