Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.

[RN] CNBB DEFENDE MISSA, MST E LULA

Expand Messages
  • Daniel Sottomaior
    O ESTADO DE S. PAULO, 26-09-2003 CNBB DEFENDE MISSA, SEM-TERRA E LULA A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se pronunciou, ontem, sobre uma
    Message 1 of 1 , Oct 1, 2003
    • 0 Attachment
      O ESTADO DE S. PAULO, 26-09-2003

      CNBB DEFENDE MISSA, SEM-TERRA E LULA

      A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se pronunciou,
      ontem, sobre uma série de questões, nas áreas religiosa, política,
      social e científica. Além de discutir a formação de lideranças e um
      plano nacional de evangelização, o principal órgão da Igreja Católica
      no País defendeu posições antigas e se pôs em defesa do governo. Na
      área espiritual, a CNBB se preocupou em definir como "pura
      especulação" a futura proibição de cantos e aplausos nas missas.
      Houve comentários sociais, relativos aos programas de reforma agrária
      e ao Estatuto do Desarmamento, em discussão no Congresso Nacional. A
      CNBB saiu em defesa do governo, que vem sendo criticado por
      dirigentes de movimentos sem-terra pela lentidão nas mudanças no
      campo. "O governo precisou coletar dados da realidade e, este mês, um
      plano coerente será lançado", afirmou o vice-presidente da CNBB, d.
      Antonio Celso Queirós. Sobraram elogios dele ainda para o novo
      conceito de reforma agrária. A CNBB manifestou-se novamente sobre
      episódios de violência no campo. "Nenhum país organizado vive de
      invasão de terras. Mas é evidente que nenhum país organizado deixa a
      terra nas mãos de um grupinho de pessoas, enquanto um grande número
      da população é sem-terra", disse o secretário. Os religiosos também
      fizeram comentários na área científica. Depois de defender as
      posições clássicas sobre genética, a conferência ressaltou ser
      contrária à liberação do plantio de transgênicos no País. O
      secretário-geral, d. Odilo Pedro Scherer, argumentou que a liberação
      da biotecnologia pode aumentar o risco de oligopólio no campo. [e]

      http://www.estado.estadao.com.br/editorias/2003/09/26/ger029.html
    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.