Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.

Fronteiras culturais

Expand Messages
  • maurocherobim
    Sou um professor aposentado e antropólogo. Sou aposentado da Universidade Estadual Paulista, universidade pública do Estado de São Paulo, Brasil, e agora
    Message 1 of 1 , Aug 25 6:54 AM
    • 0 Attachment
      Sou um professor aposentado e antropólogo. Sou aposentado da Universidade Estadual Paulista, universidade pública do Estado de São Paulo, Brasil, e agora leciono numa universidade privada, Universidade Guarulhos, uma cidade na área metropolitana de São Paulo.

      A Universidade Estadual de Mato Grosso (Unimat) iniciará, na próxima segunda feira, uma Jornada de Pedagogia sob o nome de "As Fronteiras da Educação". Este nome se justifica por vários motivos. O primeiro deles é da quantidade de grupos indígenas, com muitos de seus representantes cursando universidades e outro tanto já com os cursos concluídos. Em um dos Campi da Unemat há um curso superior indígena. Lá, aqui no Estado de São Paulo e também  no Estado de Santa Catarina existem cursos de formação de professores indígenas.

      O número de índios está crescendo, em parte pela queda da mortalidade infantil, mas em parte pela assunção da identidade étnica, negada pelos governos ditatoriais.

      Isto tudo tem levado os estudiosos ao estudo das fronteiras culturais. Em 2000 foi realizado um encontro em Porto Alegre sobre fronteiras culturais que reuniu brasileiros, uruguaios e argentinos de várias áreas para estudar esta questão. Esta preocupação toma relevãncia dada as inumeras colônias de uruguaios, argentinos, paraguaios, chilenos, bolivianos, etc., em território brasileiro.

      Mauro Cherobim

    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.