Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.

Coração Nauseado - parte II

Expand Messages
  • Isabel Machado
    Coração Nauseado - parte II por Isabel Machado* Eu ainda estou aturdida com a notícia dos presos que comeram o coração de um detento, assado em um
    Message 1 of 1 , Mar 31, 2001
    • 0 Attachment
      Coração Nauseado - parte II
      por Isabel Machado*



      Eu ainda estou aturdida com a notícia dos presos que comeram o coração de um detento, assado em um churrasco regado à pinga, em Ribeirão Preto.

      Estou aturdida, sim, mas feliz. Feliz comigo mesma. Porque ainda me choca ver esse tipo de notícia. Porque ainda me espantam atitudes boçais. Porque não acho normal assistir passivamente cenas de tamanha monstruosidade e me acho normal ao pensar e reagir assim.

      Quero eternamente ter esta necessidade de expelir sentimentos de revolta. Quero ter esta vontade de disseminar o meu grito de espanto. E quero ter o prazer de receber inúmeros e-mails concordando com meu berro (ou lamento?), comprovando que eu não sou a única a pensar assim. Comprovando que eu não estou sozinha no mundo com sentimentos de pasmo, incrédulos, impotentes...

      Ao enviar à várias listas de discussão o artigo "Coração Nauseado" eu já esperava determinados tipos de reações. Sabia que muita gente iria rir. Porque sei que muitos riram ao ver as imagens na TV. Porque sei que muitos riram ao ler a manchete nos jornais. Porque sei que muitos riram ao ouvi-la em programas policiais-sangrentos. E ainda estão rindo.

      Na verdade, quero aqui confessar: não sei se o que mais me prostrou foi a notícia em si ou as reações das pessoas. Dos que riram e dos que deram de ombros. Dos que não leram e nem querem saber. Dos que vibraram e até comemoraram. Dos que lamentaram não ter sido avisados da ceia.

      Mas não culpo quem riu. Não. Quem riu não tem culpa. Presos comendo churrasco de corações humanos são, sim, motivo para riso. Afinal, o que é coração? Como disse um leitor, nós ainda temos isso?

      Estamos tão saturados de violência que queremos mesmo é que os presos se comam, uns aos outros. Assim ficamos livres logo, não é mesmo? Na verdade esse ato de canibalismo deveria ser seguido por todos os delinqüentes, menores cheiradores de cola, flanelinhas, políticos corruptos, indigentes a vagar e enfear nossas ruas e praças...

      Por que não na praça? Sim, marquemos um grande churrasco em praça pública ! Onde comeremos corações humanos e riremos, riremos muito... gargalhadas altas, farfalhantes, realizadas pelo dever cumprido.

      Mas nada de regar à pinga. Pinga é coisa de pobre. E como um certo leitor escreveu, "todos sabem que coração na brasa só fica bom regado a vinho merlot". Na verdade eu não bebo, mas ele deve entender de vinho (de coração, já não sei).

      Outro leitor disse: "atividades nefastas existem desde que o mundo é mundo, vide Herodes, Inquisição, Nazismo, Máfia... e por aí vai. Não se espante, o mundo é uma balança, num prato o Mal, no outro o Bem, e o equilíbrio faz o mundo continuar".

      Sabe, eu quero mais é me sentir normal ao achar tudo isso anormal.

      Porque no dia em que eu parar de me espantar, no dia em que eu não mais ficar indignada e aturdida, no dia em que eu perder a capacidade de discernimento, no dia em que não me incomodar atitudes abomináveis... no dia em que eu rir de churrascos de corações humanos, é porque, definitivamente, eu não entendo nada de coração.

      Então... podem fazer do meu, churrasco em praça pública.

      Mas reguem à pinga.


      31/03/2001

      Isabel Machado - jornalista, radialista e escritora.
      www.utopia.com.br/isabel
      isabelmachado@...



      [Non-text portions of this message have been removed]
    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.