Loading ...
Sorry, an error occurred while loading the content.

[Fwd: Bicicletada contra as mudanças climática s e o G8 - sexta (08), 10h]

Expand Messages
  • thiago benicchio
    Dear friends, we ll be riding against G8 and climate change next friday here in Sao Paulo, Brazil. The ride will begin on 10a.m and we re planing to make a
    Message 1 of 1 , Jun 5, 2007
    • 0 Attachment
      Dear friends,
      we'll be riding against G8 and climate change next friday here in Sao Paulo, Brazil. The ride will begin on 10a.m and we're planing to make a "tour" through the 8 consulates of G8 countries.

      The text below is in portuguese. Sorry, no time to translate it, but maybe babelfish or other web translators can do the job.

      The pictures (and maybe video) we'll be posting during the weekend on local IMC (www.midiaindependente.org) and on :.apocalipse motorizado blog (http://apocalipsemotorizado.blogspot.com).

      Thiago


      -------- Mensagem original --------
      Assunto:Bicicletada contra as mudanças climáticas e o G8 - sexta (08), 10h


      Sexta-feira (08), 10h, na Praça do Ciclista

      Na próxima sexta-feira (08), pessoas de todo o planeta ocuparão as ruas para celebrar alternativas sustentáveis de vida e contestar a falta de políticas efetivas para lidar com as alterações climáticas que ameaçam o planeta e a vida humana.

      Trata-se de um Dia de Ação Global Contra as Mudanças Climáticas e o G8. Em São Paulo acontece uma bicicletada, a massa crítica nas ruas. O encontro será às 10h, na Praça do Ciclista (av. Paulista, altura do n.2440).

      Como sempre, basta aparecer com um meio de transporte não motorizado (bicicleta, patins, skate...). Alegorias, fantasias, cartazes e panfletos com o tema do encontro são muito bem-vindos.
      g8

      O G8 e as mudanças climáticas

      Entre 6 e 8 de junho, os líderes dos 8 países mais ricos (e/ou bem-armados) do mundo estarão reunidos na Alemanha para discutir o futuro do planeta. Na pauta das reuniões do chamado G8, a catástrofe climática que se anuncia para as próximas décadas: enchentes, desertificação, derretimento da calota polar, extinção de milhares de espécies, migrações forçadas, fome e epidemias que afetarão especialmente os países e as comunidades mais pobres.

      Os países do G8 são historicamente os grandes responsáveis pela devastação ambiental e humana que varre o planeta. O projeto de desenvolvimento baseado no consumo predatório de recursos naturais, na descartabilidade de produtos e na adequação de territórios e populações aos interesses de meia dúzia de corporações e especuladores globais está ruindo. A humanindade e o planeta não são capazes de suportar os padrões de vida, produção e consumo impostos pelo G8.

      Neste começo de século, torna-se imperativo construir novas estruturas sociais baseadas na distribuição de riquezas, na convivência pacífica entre as pessoas e na utilização sustentável dos recursos naturais e humanos. As soluções apresentadas pelo G8 sempre estiveram pautadas no exato oposto: concentração, guerra e desperdício.

      Os oito países que se encontram na Alemanha são responsáveis por mais da metade das emissões de gases de efeito estufa no planeta. Apenas um país (os EUA) foi responsável por 43% das emissões de carbono desde 1992 (data em que todos os países se comprometeram a reduzir suas emissões).

      Atualmente, meia dúzia de corporações multinacionais sediadas nos países ricos tentem controlar a produção e o comércio em todo o planeta, padronizando alimentos, hábitos e culturas.

      O dinheiro gasto com guerras por combustível e invasões militares poderia facilmente ser investido na reversão da catástrofe iminente. Mas os países reunidos no G8 preferem utilizar seus recursos e exércitos para preservar sua hegemonia e manter formas de vida incompatíveis com a sobrevivência humana no planeta.

      O G8 conta com a subserviência de países periféricos, que insistem em se manter como produtores de matéria prima e fornecedores de mão de obra barata. O Brasil, por exemplo, tem aceitado passivamente se tornar um grande canavial, propagando a mentira de que basta substituir uma fonte de energia por outra para resolver o problema, quando o imperativo é a racionalização do consumo e a melhor distribuição dos recursos existentes.

      Mesmo com as cercas, bombas e barricadas montadas a cada encontro dos donos do mundo, a humanidade vem reagindo aos abusos, construindo estruturas sustentáveis de vida, propagando valores de convivência, questionando as políticas bélicas e predatórias, estimulando a diversidade e a tolerância entre as pessoas.

      Dia 8 de junho, às 10h da manhã, na Praça do Ciclista.

      Assine a petição que exige medidas imediatas do G8 quanto às mudanças climáticas

      Leia também:
      - chamado internacional da rede Rising Tide para o Dia de Ação Global contra as Mudanças Climáticas e o G8
      - G8 deve US$ 40 bi a países pobres por aquecimento (BBC)
      - chamado no site Gaia (Portugal)
      - Iluminando os ricos

    Your message has been successfully submitted and would be delivered to recipients shortly.